segunda-feira, 25 de junho de 2012

Curso de Massagem com Pedras Quentes e Aromaterapia


Curso de Massagem com Pedras Quentes e Aromaterapia

* Ministrante: Lucilaine R. Stein
Naturóloga (Unisul) e Pós-Graduada em Estética Facial e Corporal (UNIVALI)
Docente no SENAC: Saúde e Beleza

* Público alvo: Estudantes e profissionais da área da saúde e beleza (Naturólogos, Fisioterapeutas, Esteticistas, Naturopatas, Massoterapeutas entre outros).

* Data: 18 de agosto de 2012
* Horário: 9 às 12h e das 13h às 18h
* Carga horária: 8h
* Local: Vitta Cosméticos (Rua Felipe Schmidt, 515, loja 211 - Florianópolis/SC).


* Conteúdo programático:

- Histórico da técnica de massagem com pedras quentes;
- Fisiologia e temperatura;
- Ação, indicações e contraindicações da técnica;
- Noções de geologia;
- Tipos de pedras;
- Formas de aquecer e higienizar as pedras;
- Noções de chakras;
- Noções de reflexoterapia;
- Aromaterapia para potencializar a massagem com pedras;
- Sequência da massagem com pedras quentes (corporal);
- Prática da massagem com pedras quentes (corporal);

* Investimento:
  R$ 250,00 à vista (cheque ou espécie)
  R$ 265,00 parcelado (1+1 cheque)
  Obs: Esse valor inclui o Kit de pedras, apostila, certificado e coffee break

* Material necessário: Lençol, toalha de banho e toalha de rosto. Vestimenta adequada para receber e aplicar massagem.

* Informações e inscrições: vittacosmeticos@gmail.com
 (48) 3207-0122

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Visagismo


   Um dos meus programas de televisão favoritos é o “Esquadrão da Moda”, no SBT. Nele algum parente/amigo/chefe pede uma consultoria profissional para um conhecido, pois o mesmo não se veste bem ou escolhe peças erradas em diversas situações. Mas não só isso, todas as pessoas acabam passando por uma transformação interna e externa através de suas roupas, cabelo e maquiagem, que acaba também transformando sua personalidade e atitudes. E nessa consultoria entra o Visagismo (além da consultoria de moda e estilo).
   Visagismo vem da palavra francesa Visage que significa rosto.
  "Estudar o rosto é desnudar a face, reconhecendo através da linguagem visual as estruturas ósseas, musculares, cartilagens e pigmentos que mapeiam todas as particularidades de cada indivíduo, ou seja, sua identidade, os pontos fortes e os pontos não tão agradáveis a apreciação” (HALLAWELL, 2004). Para o idealizador da técnica de visagismo, o maquiador e cabeleireiro francês Fernand Aubry, a beleza é a expressão das qualidades interiores e os profissionais da estética deverão adequar com harmonia estas expressões com procedimentos que revelem belezas desconhecidas (HALLAWELL, 2004).
   Segundo o renomado professor Philip Hallawell o visagismo visa definir uma identidade pessoal. Ajuda a pessoa a descobrir o que ela deseja expressar com a sua imagem. (BARK, 2012).
   Para entender o indivíduo como um todo é imprescindível que se conheça o(s) temperamento(s) que o mesmo apresenta.
   "A palavra temperamento significa "mistura de proporções" é o que define as reações de cada pessoa em relação à vida, frente aos seus obstáculos e bem como às suas graças" (PINTO, 2011 apud DUARTE; REDLICH; THIVES, 2012).
   O Visagismo utiliza principalmente os temperamentos citados por Galeno, médico e filósofo romano de origem grega, que trata da utilização de quatro humores: sanguíneo, colérico, melancólico e fleumático. (SILVA, 2011 apud DUARTE; REDLICH; THIVES, 2012). Os mesmos são utilizados pela Medicina Antroposófica.
   Entretanto, nada impede que se faça uso de outros saberes, como o da Medicina Tradicional Chinesa (que utiliza os 5 elementos para entender o ser humano: madeira, fogo, terra, metal e água) ou a Medicina Tradicional Ayurveda, que propõe 3 tipos chamados Kapha, Pitta e Vatta.
   As pessoas, de uma maneira geral, apresentam um desses aspectos como o principal e outro como secundário. Entretanto, existem casos de pessoas que são um único tipo ou outras que apresentam três tipos. Encontrar uma pessoa que tenha os quatro tipos é bastante raro, mas não é descartada essa hipótese.
   "Cada tipo facial exterioriza através dos traços faciais sua imagem e é esta imagem que conta para o mundo, como a pessoa é e como ela gosta de ser tratada". (SILVA, 2011 apud DUARTE; REDLICH; THIVES, 2012).
   Para as mesmas autoras, hoje em dia a busca para aliar estética a personalidade de cada indivíduo é grande, pois há uma tentativa de responder algumas inquietações contemporâneas como a insatisfação com a imagem visual, a baixa autoestima, a falta de aceitação da sociedade por uma beleza não enquadrada nos padrões.
   Segundo Philip Hallawell (especialista em visagismo) e Sérgio Luiz (médico) “cada face exterioriza seus sentimentos, através do registro marcado por suas linhas de expressão e pelos elementos que correspondem cada forma geométrica, com o temperamento predominante". (DUARTE; REDLICH; THIVES, 2012)
   Um estudo recente realizado por pesquisadores da Universidade de Toronto, no Canadá, tentou descobrir como as características faciais de 73 gestores dos principais escritórios de advocacia dos Estados Unidos podem estar relacionadas ao sucesso de uma companhia. Eles descobriram que a combinação entre um rosto com formato angular, ossos da face proeminentes, maxilar grande, olhar profundo e sobrancelhas com curvatura marcante podem estar por trás do sucesso de uma companhia.
   Para chegar a esses resultados, eles escolheram 67 pessoas para analisar as fotos (atuais e da formatura) de 73 sócios dos principais escritórios de advocacia dos Estados Unidos. “Elas deveriam julgar critérios como características que representavam dominância, maturidade facial, aptidão e confiança. Os resultados mostraram que pessoas com traços faciais que denotavam poder tendem a ter carreiras mais bem sucedidas nas culturas ocidentais”. (ABRANTES, 2012).
   Claro que os pesquisadores não estão dizendo que somente pessoas com esses traços são bem sucedidas, mas que o fato da pessoa passar uma imagem de poder (intencionalmente ou não) pode influenciar a opinião das pessoas ao seu redor (pois nossa imagem sempre passa uma mensagem, mesmo que não tenhamos noção disso).
   "Convém saber que não é somente por meio do formato do rosto que se reconhece o temperamento de uma pessoa. Outra forma de identificar os temperamentos é analisar as ações, hábitos, ritmo de vida de cada indivíduo, bem como suas peculiaridades". (MARTINEZ, 1997 apud DUARTE; REDLICH; THIVES, 2012).
   É responsabilidade do profissional entender o cliente como sujeito único, que procura uma imagem visual que harmonize com seu biótipo, estrutura física, temperamento, personalidade, idade, estado civil, estilo de vida, profissão, identificando suas necessidades, prioridades, desejos, valores e princípios, a fim de que a pessoa reflita sobre si mesma e o profissional possa “construir” uma estética que entenda suas características, evidenciando o que há de melhor na pessoa e valorizando a sua beleza. (DUARTE; REDLICH; THIVES, 2012; BARK, 2012).
   Devemos lembrar que nem sempre é fácil realizar mudanças em nossa vida, pois "nossos modelos mentais limitam novas possibilidades de opções. Fazer novas opções é sempre doloroso, principalmente quando isso requer abandonar ou reestruturar caminhos não trilhados". (SENGE, 1990 apud DUARTE; REDLICH; THIVES, 2012).
   Entretanto, uma mudança no corte ou cor dos cabelos, no design das sobrancelhas, a cor de maquiagem certa, entre outros pode sim passar uma mensagem diferente daquela que você tem passado nos últimos anos, gerando mudanças positivas e significativas em sua vida.


Referências

ABRANTES, Talita. Formato do rosto pode influenciar sucesso profissional, diz pesquisa: estudo sugere que é possível mensurar o grau de rentabilidade de uma empresa a partir das fotos dos gestores durante a formatura na faculdade. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/formato-do-rosto-pode-influenciar-sucesso-profissional-diz-pesquisa?page=1&slug_name=formato-do-rosto-pode-influenciar-sucesso-profissional-diz-pesquisa>. Acesso em 31 maio 2012.

BARK, Mari. Visagismo: transmissão de mensagem por intermédio da sua imagem facial. Disponível em: <http://www.blogdamaribark.com.br/2012/05/visagismo-transmissao-de-mensagem-por.html>. Acesso em: 31 maio 2012.

DUARTE, Bruna T. B., REDLICH, Camila, THIVES, Fabiana. A influência dos elementos da Astrologia, do Visagismo e da Teoria de Hipócrates na Estética. Disponível em: <http://siaibib01.univali.br/pdf/Bruna%20Duarte%20e%20Camila%20Redlich.pdf>. Acesso em: 13 maio 2012.

HALLAWELL, Philip. Os Benefícios do Visagismo para o Profissional de Beleza. Disponível em: <http://www.visagismo.com.br/index.php/93-artigos/140-os-beneficios-do-visagismo-para-o-profissional-de-beleza>. Acesso em: 31 maio 2012.

HALLAWELL, Philip. Visagismo: Harmonia e Estética. 2. ed. São Paulo: Ed. SENAC São Paulo, 2004.

HALLAWELL, Philip. Visagismo Integrado: identidade, estilo e beleza. São Paulo: Ed. SENAC São Paulo, 2009.

ITO, Patrícia do Carmo Pereira; GUZZO, Raquel Souza Lobo. Diferenças individuais: temperamento e personalidade - importância da teoria. Rev. Estudos de Psicologia, Campinas - São Paulo, v. 19, n. 1, p. 91-100, jan./abr. 2002.

LUNELLI, Carla. Linguagem visual aplicada à moda: beleza e estilo. 2009. 109 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Bacharelado de Moda - Habilitação em Estilismo) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

SILVA, Sérgio Luiz Marcussi Vitor da. A Medicina a Luz do Visagismo. Disponível em:<http://novo.clinicaperformance.com.br/userupload/432/File/visagismo%20e%20Medicina_web.pdf>. Acesso em: 17 maio 2012.

TORRI, Alexandra Moreira. et al. O corte de cabelo e a maquiagem e sua relação na
harmonia estética feminina
. Disponível em: <http://www.unifra.br/eventos/sepe2010/2010/trabalhos/humanas/resumo/4625.pdf>. Acesso em: 13 maio 2012.


 Fonte:
Imagem: Studio Liz

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Os florais de Bach


   Nas últimas semanas tenho sido bastante consultada com relação aos efeitos/eficácia dos Florais de Bach ou mesmo para indicação dos mesmos. Dessa forma, achei interessante escrever um post aqui no blog esclarecendo sobre essa Terapia Complementar.

   "As essências florais ou remédios florais são uma forma singular e sutil de medicina vibracional que vem se tornando cada vez mais popular ao longo dos últimos sessenta ou setenta anos. Embora a maioria das pessoas familiarizadas com esta abordagem de cura pensem que a terapia com essências florais surgiu no início do século XX, existem evidências sugerindo ser ela uma abordagem de cura extremamente antiga" (GERBER, 2000).
   "São considerados como instrumentos de cura suaves, sutis, profundos, vibracionais, com uso reconhecido em mais de 50 países e aprovados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) desde 1956" (MANTLE, 1997 apud SOUZA, ET AL, 2006).
   Os florais ou essências florais são tinturas líquidas preparadas e produzidas a partir de todo tipo de flores (das mais simples, sendo consideradas "ervas daninhas"; até as mais requintadas como orquídeas). Elas não são um medicamento físico, pois não contêm princípios ativos (moléculas de susbstâncias medicinais que encontramos na fitoterapia, aromaterapia e alopatia, por exemplo) (GERBER, 2000). Por causa disso, muitos pesquisadores questionam sua eficácia, pois se não há princípio ativo (apenas água e brandy/conhaque), o floral seria apenas um placebo e sua cura seria através de autosugestão (ROSADO, et al, 2009). Entretanto, há estudos científicos que utilizaram eficazmente os florais de Bach em animais e plantas (seres que não são sugestionáveis), o que acaba indo de encontro às ideias dos pesquisadores mais céticos. (SOUZA, et al, 2006; VIEIRA FILHO, 2006).
   Eu mesma, antes de aprender sobre os 38 florais de Bach, duvidava muito da sua eficácia (pois, como muitas pessoas, ia na farmácia fazer um floral para melhorar a memória, emagrecer, etc; escolhendo florais aleatórios que em nada tinham relação com minha personalidade). Quando comecei a estudar sobre o sistema dos Florais de Bach na faculdade, entendi que todos possuimos personalidades diferentes e reagimos de maneira diferente frente às mesmas situações. Dessa forma, mesmo que duas pessoas estejam tomando um floral para melhorar a concentração, por exemplo, a minha falta de concentração pode ser desencadeada porque não tenho paciência de esperar o conteúdo ser dado, enquanto outra pessoa pode se desconcentrar pois acha que não é inteligente o suficiente e outra porque fica "sonhando acordada". Assim, todas tomarão florais completamente diferentes para o mesmo problema (pois as três são desconcentradas, mas por motivos diferentes). Esse foi um exemplo só para que vocês consigam entender que escolher um floral vai muito além de ler um folheto na farmácia de manipulação.
   "A Terapia Floral é totalmente centrada no indivíduo, sendo a sua atuação voltada para as emoções conscientes ou que estejam muito à superfície, ou seja, bastante evidentes. Trata, assim, a terapia floral, de nossos véus, de nossas máscaras, nossas personas" (VIEIRA FILHO, 2006).
   O Dr. Edward Bach quando criou seu sistema de remédios florais queria um método de cura simples, natural e efetivo. "Tão simples que as próprias pessoas pudessem se medicar, a partir da observação de seu estado mental e emocional e do reconhecimento dos seus sintomas - um sistema de autoconhecimento, portanto. Tão natural que não tivesse efeitos colaterais: sendo incapaz de causar qualquer mal. E absolutamente eficaz: uma vez dado o remédio certo para a condição a ser tratada, ela seria curada [...]". (BARROS; NEVES, 2004).
    Então, se o Dr. Bach criou um método que as próprias pessoas possam se "medicar", por que não posso ir até a farmácia de manipulação e escolher meu próprio floral? Você pode, desde que você tenha autoconhecimento (e isso não é algo que a gente adquire da noite para o dia ou somente nos autoatendendo). Por isso, muitas vezes, precisamos recorrer a um profisisonal que possa nos ajudar a escolher as melhores essências florais para o nosso "problema" atual, pois essa pessoa estará nos enxergando (e enxergando nosso problema também) de fora, o que torna mais simples a escolha.
   Qualquer pessoa pode fazer um curso sobre os florais de Bach e aplicá-los. Vários profissionais da área da saúde (Médicos, Naturólogos, Psicólogos, Fisioterapeutas, Nutricionistas, Enfermeiros, Ondontólogos, Massoterapeutas, Esteticistas, etc); Pedagogos, Assistentes Sociais, Cuidadores de crianças e/ou idosos, Veterinários, Biólogos, Pais, Mães, Avós, etc. Não é necessário que a pessoa tenha formação acadêmica.
   Os florais podem ser aplicados em quaisquer pessoas: crianças, adultos, idosos, gestantes, hipertensos, etc. Também podem ser utilizados em animais, plantas e borrifados no ambiente. Outra forma de aplicação (além da oral), é a utilização de compresssas em determinadas partes do corpo.

   O assunto é extenso e pretendo escrever mais sobre a história do Dr. Bach e como ele criou seu sistema de remédios florais em breve.


Referências

BARROS, Lúcia Cristina; NEVES, Maria Aparecida. Florais. São Paulo: Editora Caras, 2004. 47 p. Coleção Caras Zen.

BONTEMPO, Márcio. Medicina floral. Rio de Janeiro: Ediouro, 1994. 207 p.

Facioli F.; Soares A.L.; Nicolau R.A. Terapia Floral na Odontologia no controle de medo e ansiedade: revisão de literatura. In: Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e Encontro Latino Americano de Pós-Graduação, 14., 2010, São José dos Campos, 2010, p. 1-5. Disponível em: <http://www.inicepg.univap.br/cd/INIC_2010/anais/arquivos/RE_0766_0632_01.pdf>. Acesso em: 8 jun. 2012.

FERNÁNDEZ, Sureima Callís. Terapia floral de Bach en niños con manifestaciones de hiperactividad. MEDISAN, Santiago de Cuba, v. 15, n. 12, p. 1729-1735, ago. 2011. Disponível em: <http://scielo.sld.cu/scielo.php?pid=S1029-30192011001200007&script=sci_arttext&tlng=en>. Acesso em: 8 jun. 2012.

GERBER, Richard. Medicina vibracional: uma medicina para o futuro. 8. ed. São Paulo: Cultrix, 2003. 463 p.

GERBER, Richard. Um guia prático de medicina vibracional: uma medicina para o futuro. São Paulo: Cultrix, 2000. 448 p.

ROSADO, Jorge A. Bergado; et al. Ausencia de efectos de la terapia floral aplicada a adultos jóvenes con el fin de mejorar su memoria. Revista Cubana de Investigaciones Biomédicas., [s.l], v. 28, n. 4, p. 1-11, set. 2009. Disponível em: <http://scielo.sld.cu/scielo.php?pid=S0864-03002009000400001&script=sci_arttext>. Acesso em: 8 jun. 2012.

SOUZA, Márcia M. de; et al. Avaliação dos efeitos centrais dos florais de Bach em camundongos através de modelos farmacológicos específicos. Revista Brasileira de Farmacognosia, João Pessoa, v. 16, n.3, p. 365-371, jul./set. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-695X2006000300014&script=sci_arttext>. Acesso em: 8 jun. 2012.

VIEIRA FILHO, 2006. Aula de Terapia Floral de Bach - Comunidade de Estudos Avançados. In: Holística 2006, 3., 2006, São Paulo. Palestra. São Paulo, 2006, p.1-41. Disponível em: <http://www.sinte.com.br/holopedia//index.php?action=artikel&cat=90&id=32&artlang=pt-br>. Acesso em: 8 jun. 2012.

 Fonte:
 Imagem: Getty Images

domingo, 10 de junho de 2012

Origami para o dia dos namorados


   Falta pouco para o dia dos namorados e aqui vai um presentinho rápido, fácil e barato de fazer - desde que a pessoa goste de ler, afinal é um marcador de página.

    Você vai precisar de:
   - 1 Folha de papel (21cm x 21cm) - recomendo que utilize um papel mais durinho como cartolina, papel dupla face ou de scrapbook.

Abaixo o diagrama:
(Clique na imagem para torná-la maior)

    Esse quadradro de papel vai ser suficiente para fazer 2 marcadores de página (um para você e outro para o seu amor).
 
    Depois de pronto você pode enfeitá-lo (escrever alguma frase, colar botões, fitas, etc). Nos meus usei botões, flores e pintei as bolinhas do marcador bege com tinta acrílica (mas poderia ser utilizado guache).

Coloque-o dentro de um livro e presenteie a sua pessoa amada!

 
Quem se aventurar a fazer, me mande fotos, sim?!


Fonte
Imagens: Arquivo próprio
Diagrama: Origami Club